HMNEWS EDITORA E EVENTOS. ÚNICA COM CREDIBILIDADE E INOVAÇÃO EM PAPEL, INTERNET E EVENTOS.

GÁS | HIDROSSANITÁRIA | ELÉTRICA | ELETROMECÂNICA |HVAC | FOTOVOLTAICA | INCÊNDIO | DADOS | MANUTENÇÕES

 

 

+ de 37 mil

 

LEITORES, INTERNAUTAS, PROFISSIONAIS E FÃS DA REVISTA DA INSTALAÇÃO :)

  CONHEÇA OUTRA PUBLICAÇÃO DA HMNEWS EDITORARevista Potência
ANUNCIE
  

Orientação sobre segurança

Vazamentos de gás e incêndios são riscos que podem ser evitados mediante o uso seguro do botijão de gás liquefeito de petróleo (GLP), mais conhecido como gás de cozinha.

A informação é da Ultragaz, que no 5 de maio ministrou palestra para grupo de moradores do Parque São Rafael, em São Paulo, a convite do Comitê de Fomento Industrial do Polo do Grande ABC (COFIP ABC).

O encontro marcou o início do programa de palestras Polo na Comunidade, organizado pelo COFIP ABC, por meio do Conselho Comunitário Consultivo (CCC), com o foco de conscientizar a população do entorno para a adoção de boas práticas em saúde, segurança e meio ambiente. O CCC é um fórum de relacionamento formado pelas indústrias associadas e comunidades vizinhas ao Polo, com o objetivo de ampliar as oportunidades de diálogo.

Na palestra, Ismar Oliveira, técnico da Ultragaz, utilizou botijão em corte e fez demonstrações práticas em painel simulador de gás para orientar sobre cuidados necessários ao transportar, armazenar, manusear e instalar o botijão de GLP, bem como seus componentes. “Quase 100% das ocorrências envolvendo gás de cozinha são causadas por uso inadequado”, alertou.

O grupo pôde esclarecer uma série de dúvidas e observar a demonstração de uma ocorrência de acidente, por meio de um aparelho simulador de explosão em ambiente doméstico. “Caso haja desconfiança de vazamento de gás, nunca se deve acender a luz ou ligar qualquer equipamento que produza faísca, sob o risco de acontecer uma explosão”, orientou Oliveira.

Marco Molina, gerente de Produção da Ultragaz, considera o trabalho de conscientização um papel fundamental da empresa. “Para a Ultragaz, que possui mais de 80 anos de mercado, é importante conversar diretamente com o usuário final sobre o GLP, um recurso excelente para a saúde e o bem-estar da população, mas que precisa ser utilizado com segurança”, afirmou.