HMNEWS EDITORA E EVENTOS. ÚNICA COM CREDIBILIDADE E INOVAÇÃO EM PAPEL, INTERNET E EVENTOS.

GÁS | HIDROSSANITÁRIA | ELÉTRICA | ELETROMECÂNICA |HVAC | FOTOVOLTAICA | INCÊNDIO | DADOS | MANUTENÇÕES

 

 

+ de 37 mil

 

LEITORES, INTERNAUTAS, PROFISSIONAIS E FÃS DA REVISTA DA INSTALAÇÃO :)

  CONHEÇA OUTRA PUBLICAÇÃO DA HMNEWS EDITORARevista Potência
ANUNCIE
  

SIL recebe certificado pelo consumo de energia limpa

SIL Fios e Cabos Elétricos recebeu o “Certificado Comerc Sinerconsult de Energia Renovável” pelo consumo voluntário de energia elétrica proveniente de fontes renováveis ao longo de 2016 em sua fábrica de Guarulhos (SP). Essas emissões, impedidas de forma voluntária, evitou o lançamento no meio ambiente de 651,54 toneladas de CO2 (gases de efeito estufa) – o equivalente ao plantio de quase 4560,78 árvores, se comparado a um projeto de reflorestamento de 30 anos.

Para Pedro Morelli, gerente Comercial e de Marketing da SIL, conquistar esse certificado tem um valor muito importante para a empresa não apenas pelo que desperta aos olhos de quem está de fora, mas, especialmente, pela conscientização daqueles que participam de todos o processo, os colaboradores: “Estamos falando de benefícios muito maiores para a companhia e seus funcionários. Mais, estamos falando de preservação do meio ambiente, de vidas, dentro e fora daqui. É muito gratificante e estamos extremamente orgulhosos. Por isso, a SIL tem como meta aumentar cada vez mais a utilização de energia renovável em sua operação”.

 O Certificado de Energia Renovável é fruto de parceria entre a Comerc, maior gestora independente de energia do país, e a Sinerconsult Consultoria, empresa de consultoria de gerenciamento energético, o Certificado de Energia Renovável. A metodologia para o cálculo das Emissões GEE evitadas utiliza procedimentos do GHG Protocol Corporate Standard da The Greenhouse Gas Protocol Initiative que são utilizados desde 2011 e aceitos em empresas e ONGs de todo o mundo. O relatório foi criado com base na Rio-92, conferência em que grandes potências mundiais reconheceram a gravidade da questão das emissões de gases de efeito estufa e sua relação direta com as mudanças climáticas. Na ocasião, Brasil e outros países em desenvolvimento, que têm elevada emissão desses gases, estabeleceram metas e diretrizes para redução significativa de emissões desses poluentes.